Quase dois meses morando no pequeno reino da Dinamarca e 14 vezes mais pobre decidi continuar escrevendo sobre como é a vida nesse país frio e amoroso :)

A primeira parte tá aqui: Como é viver na Dinamarca.

1. O PAÍS MAIS FELIZ DO MUNDO

Quando você chega no aeroporto de Copenhagen, já percebe logo de cara como a Dinamarca é muito amor.

Bem vindo ao país mais feliz do mundo! :)
—- Na verdade nem é mais, porque acabei de descobrir pelo meu amigo Google que a Suiça foi considerada o país mais feliz do mundo esse ano, mas a Dinamarca continua, como sempre, no topo da lista. —-

E nos detalhes mais sutis você percebe o QUÃO FOFINHO é o país. #VontadeDeEsmagar

Nas moedas por exemplo, quase sempre tem um coraçãozinho perdido  

Quem coloca corações nas moedas? A Dinamarca <3
 ~ O coração, que na verdade deveria ser um rim, porque é como eu me sinto cada vez que pago alguma coisa nesse país: trocando os meus rins por alimentos e álcool de origem duvidosa. ~
 

Achou que só na Inglaterra existia guarda real? Ledo engano. Dinamarca também tem.

Sempre me pego imaginando quão deprimente é ficar com essa roupa ~bacana~ sem poder sorrir, durante o dia todo.

Pois é, o querido reino da Dinamarca ainda tem rainha, princípe, princesa, guarda real, castelos, aventuras da pesada e muitas confusões! A princesa inclusive foi nos dar as boas vindas numa palestra na primeira semana de aulas da nossa faculdade (mostrando o quão agitada é a agenda social da monarquia dinamarquesa).

Sinceeeeramente, eu acho bem brega e bem entediante essa coisa de guarda real, mas a foto e a história são apenas para focar no pequeno detalhe amoroso da cabine:

Amor em tempos de guerra~

2. MOEDA

Falando em moedas, só pra sambar na nossa cara de brasileiros sofredores, algumas moedas da Dinamarca valem mais que barras de ouro metade das nossas cédulas de reais que valem menos que papel.
 

Para ilustrar a tristeza:

20 DKK – 12 reais e o pânico de perder qualquer moeda no bolso da calça.
 Com essa pequena moeda de ouro no Brasil você poderia comprar:
– 4 pastéis;
– 10 copões de pão de queijo no metrô e dois sucos da máquina;

– Quase uma roupa nessa loja (exceto algumas peças);

Qualquer peça menos algumas peças.
O que eu compro com essa moeda na Dinamarca? Um café e uma depressão, pra viagem, por favor. 
(O café aqui na minha cidade realmente custa 20DKK para seres humanos comuns, mas com a carteirinha de estudante a gente para APENAS 10DKK por um cafezinho. Em Copenhagen o café custa 26DKK, sem descontos, beijos sociedade).

3. OS PREÇOS – O Retorno

Dia desses eu passeava tranquilamente pela minha cidade quando vi esse anúncio:

Winter is coming!
 Jaqueta por 300 DKK. Comecei a fazer várias contas, soma 3, sobe 1, corta ali, divide por dois e ORRAS, 170 reais, nada mal, nada mal. Pensei “hm, vou analisar as finanças, mas talvez eu volte nessa loja para comprar.” Passei mais uns 5 dias pensando na bendita jaqueta até que decidi que ia levar mesmo. Cheguei na semana seguinte na frente do anúncio de novo e vi ali no canto, como quem não quer nada 2.199, um número engraçado, pequeno, voando no anúncio. Daí caiu a ficha. 300 DKK é o desconto, OU SEJE, a jaquetinha mesmo custa apenas R$1.270.
 
Sorte que eu nem queria mesmo.
 
Porém, tudo na vida tem uma razão de ser. Essa lição serviu para eu aprender que:
– Não dá para comprar NADA na Dinamarca.  
– Nem só de Tilbud (oferta) vive o meu amplo conhecimento sobre a língua dinamarquesa, porque agora eu sei também que Spar significa ~economia~. #YoPoliglota #FluenteNoDinamarquês
 

Agora nem só de Tilbud mesmo nós vivemos, porque oferta na Dinamarca é assim:

Sanduichão de mortadela + suquinho por 39 reais.
 AÍ SIM, PUTA PROMOÇÃO BOA, vou levar 5. E um café!

4. MAIS BICICLETAS

Eu achava que aqui em Kolding a bicicleta fazia sucesso. Daí eu fui pra Copenhagen.

Média de 3 bicicletas por habitante ahaha

 Homens de terno? De bicicleta. Mulheres de roupa social? De bike. Crianças? Na magrela.

Problemas de países desenvolvidos: Encontrar estacionamento para as bikes.
 São Paulo, bora seguir o exemplo?

5. BANANA

Quando eu digo que a banana é cara, pessoal acha que eu exagero. Agora quando o preço da banana cai, a sociedade dinamarquesa (e os publicitários) vão à loucura.
 

CAPA (sim, capa) da revista de ~ofertas~ do mercado:

Você, publicitário desempregado no Brasil? Vem pra Dinamarca que é garantia de emprego certo!
Anúncios

2 comentários em “Como é viver na Dinamarca – Parte 2

  1. Olá!! Primeiramente parabéns pelo blog! Muito legal de ler, adorei o senso de humor! =D
    Segundo, queria saber em que contexto você morou/está morando na Dinamarca. Como estudante? Visitante? Trabalho voluntário? Li outros posts pra nao pegar o bonde andando mas mesmo assim nao achei o começo dessa história na Dinamarca.
    Se puder contar mais agradeço!
    Um abraço!

    Curtir

  2. Estou com planos de ir sim, mas ainda nao decidi como rs Tenho dupla nacionalidade italiana, e pelo que eu li sobre a UE, isso me permite trabalhar lá. Mas nao sei o quão facil seria achar um trabalho na DInamarca sem falar dinamarquês e sem ser qualificada pq ainda nao terminei a faculdade. Então to pensando em ir como estudante ou au pair e ver o que acontece. Vc tem algo a dizer sobre o clima e comida? Sei que tem zilhões de coisas na internet sobre isso mas acho que quero saber sua opiniao sobre como essas coisas tornaram sua estadia super cruel ou se nao foi tanto assim.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s