Depois de passar 9 dias amando Bali, o meu próximo destino era a Malásia. Comprei a passagem direto para Kuala Lumpur, capital do país. Na minha cabeça inteligentíssima, um dos truques do mochileiro pobre que sabe usar bem seu dinheiro, é sempre pegar o vôo mais barato, não importa que horário ele chegue na cidade-destino. O que eu fiz então? Comprei um vôo que saia às 22h de Bali e chegava em Kuala Lumpur à 1h da manhã.

Malásia: Amor na primeira escultura de 300 metros 

Não o bastante, eu decidi que seria muita perda de dinheiro pegar um táxi (TÁXI É luxo gente, só ando de angkot) e ainda gastar uma hospedagem em um hostel pra dormir só meia noite. O que eu fiz? Bora dormir no aeroporto, de novo :( Daí eu comecei a pesquisar e descobri que tem um site sobre dormir em aeroportos: SleepingInAirports. Ele dá a dica dos melhores bancos pra tirar aquele cochilo, lista onde ficam os pontos de energia para recarregar o celular e faz até um ranking dos melhores/piores aeroportos para pernoitar ahaha E o aeroporto de Kuala Lumpur está no top 10 para dormir na Ásia. FESHOW.

Já desci do avião feliz e contente, buscando o meu banco super bem localizado, quando descobri que TODO mundo decidiu me fazer companhia e dormir ali mesmo. Eu achei que ia ser mo mico pegar um canto e deitar, mas é quase como procurar mesa na praça de alimentação do shopping no horário de almoço. Galera sai correndo quando alguém levanta e joga as malas no espaço livre. No chão tem famílias jogadas por todos os cantos, acho que algumas devem inclusive morar lá, não é possível. Eu já tava me sentindo a malandra do rolet com um travesseirinho meia-boca e a canga pra usar de cobertor, quando vi um cara com colchão de ar, deitado no meio do corredor. Vergonha foi embora, achei um canto no meio de 8 pessoas e capotei sentindo o calor humano  + bafo de 40º de noite dessa Ásia maravilhosa.

Pessoal da Ásia se especializando no turismo econômico!

Acordei de manhã, peguei o ônibus e depois o metrô para chegar no meu hostel. Como cheguei super cedo (8h da manhã eu já estava lá, só querendo dormir em uma cama de verdade, mas com check-in só para as 13h) chorei para o mocinho da recepção que foi super simpático e me deixou tomar um banho e guardar a mochila no armário deles. Já sai para o rolet do madrugador, conhecer Batu Caves, que é um dos santuários hindus mais populares do mundo fora da Índia.

O grande macaco verde e os detalhes incríveis dos templos.

Chegar em Batu Caves é bem fácil. É só ir até a KL Sentral e pegar o trem até a última estação, que, tcharam, se chama Batu Caves. Assim que você desce do trem já vê o macaco verde te saudando. São vários mini-templos, esculturas e muitos, muitos detalhes.

Senhor Murugan, a maior estátua do Templo, e a vista da cidade.

As cavernas que dão o nome ao lugar ficam láaaaaaa no topo da montanha. Uma escada de seiláquantos mil degraus separam o pobre turista desavisado dos templos e das grutas.  Pra quem teve uma noite bem dormida no aeroporto, tome-le exercício matinal na cara. Pensamento positivo, foca na dieta, e vamo que vamo.

A cara de felicidade das pessoas subindo os degraus infinitos :)

Sobe dois, para um, tira uma foto, toma um ar e vai subindo. Chegando no topo você vê as cavernas e mais 200mil esculturinhas por todos os cantos. A estátua dourada que fica no começo da escadaria é do Senhor Murugan, o Deus Hindu da guerra, e é a maior estátua dessa figura no mundo. O calcário das paredes das cavernas é estimado em 400 milhões de anos :)

A caverna com trilhões de esculturas e o laguinho da entrada do templo.
Um dos infinitos detalhes escondidos na gruta.

Fora os lindos templos e esculturas, Batu Caves tem o quê? Milhares de macacos. E bem, se tem UMA coisa que eu aprendi nessa Ásia é que: todos os macacos são seres malvados, assassinos e traiçoeiros. Subindo e descendo a escada você vê os bandos (pausa para o meu choque quando descobri que o coletivo de macacos é capela. Capela. Jamais foi, jamais será), mas enfim, os bandos de macacos ruins, armando seus planos para roubar as pessoas e tacar frutas na cabeça delas. Segurem câmeras, óculos, comidas, crianças. E se preparem pro ataque.

Macaquinhos malvados POR TODA a Ásia. Não dá nem pra confiar nos bebês que são pequenos, mas já mortais.

E não bastassem os macacos no templo, voilá. Vamos adicionar uns pombos, jogar comida pelo corpo e esperar que eles venham comer na nossa mão ahahaha AI ÁSIA, como não te amar <3

A praça da Sé da Batu Caves

______________________________________________________________

Hostel:

Reggae Mansion KL – 4 bed mixed room

MYR 50.00 – R$ 39


Trem/Metrô: 

MYR 1.00 – R$ 0,35

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s