No dia seguinte, bem de manhãzinha, a Gitya me disse que estava em Ubud. Ela é uma das meninas que eu conheci em Malang pelo CouchSurfing ♥. Acabou que ela foi para a minha homestay e dividimos o quarto.


Decidimos pegar a motoca logo depois que ela jogou as coisas no quarto e fomos para o terraço de arroz de Tegalalang, que ficam pertinho do centro de Ubud.

Finalmente nos famosos terraços de arroz!
Agora descobri porssssque se come tanto arroz nessa Indonésia.

Os terraços de arroz são lindos, mas são.. terraços de arroz ahaha Não há muito o que fazer pela área, então os balineses colocaram infinitas lojinhas de tudo quanto é tralha pelo caminho. Quadros, sinos de vento, esculturas, jóias, cabeças de gado, enfim. Tem bastante coisa legal, só precisa ter paciência pra xeretar tudo e pechinchar sempre.

Lojinhas e lembranças para todos os gostos.

Decidimos seguir para Goa Gajah, um templo construído no século 9, ainda bem perto de Ubud. Esse santuário é também conhecido como Elephant Cave (Caverna do Elefante). Me senti indo para casa (BRINKS família ♥). Diz a lenda que à primeira vista, acreditaram que a figura que fica na entrada da caverna era um elefante, e por isso o apelido.
Vejamos:

Favor notar que o elefante deveria ser a estátua em cima da caverna, não eu. Grata.
VOU LHE CONTAR que ó, realmente essa estátua quase me confundiu também com um elefante. O nariz então, idêntico. O interior da caverna é bem pequenininho e lá você encontra mais oferendinhas balinesas e algumas estátuas.
FALEI QUE TINHA YAKULT DE OFERENDA!!

A entrada para Goa Gajah custa 15.000 rúpias (U$1,50) e além da caverna com as oferendas, há também outros templos no meio de uma mata com árvores gigantes e uma pequena cachoeira.

A árvore da sabedoria balinesa e as oferendas infinitas.
Os balineses e sua fé.

À noite fomos a um encontro do pessoal do Couchsurfing, em um bar no centrinho de Ubud. Era um bar super simpático, com música ao vivo, mas não me lembro o nome. Mais de 30 pessoas, de todos os lugares do mundo, bebendo e comendo comida balinesa. Conheci inclusive dois brasileiros: uma pedagoga que largou a vida em São Paulo e decidiu dar aulas e morar em Ubud, e um viajante que planejava passar 1 mês fora do país e já estava viajando à quase 2 anos! *as lágrimas da vontade escorrendo do meu rosto*.

Couchsurfing é o melhor amigo do viajante solitário ahaha Super recomendo! Mesmo que você não precise/queira se hospedar no sofá de alguém, vale super a pena usar, para encontrar uma companhia para um café, um passeio ou uma cervedjinha :)

________________________________________________________________

Hospedagem: 

Ayu Homestay – Jl. Hanoman

Diária – U$10 com café da manhã

Passeios: 

Goa Gajah – U$1,50
Tagalalang – De graça

Aluguel: 
Scooter – U$5 por dia + gasolina


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s