Na verdade, as Ilhas Gili não ficam exatamente em Bali. Elas ficam entre a imensa ilha de Bali e a ilha de Lombok (que eu ouvi falar super bem, mas não tive tempo de conhecer). São 3 pequeninas ilhotas e são divididas em Gili Trawangan, Gili Meno e Gili Air.

Gili Trawangan ♥
Quase um onde está Wally e toda minha habilidade no Paint à prova.
O que dizem das ilhas:
Trawangan – A mais conhecida e com maior infra-estrutura. Tem vários restaurantes, hospedagens e cursos de mergulho.
Meno – Fica entre as duas outras ilhas, e é a menor e a mais tranquila das três.
Air – É a ilha que fica mais próxima de Lombok e há boats de que dá pra ver tartaruguinhas nadando pelas praias da ilha.
Só pela quantidade de coisas na Trawangan, já dá pra perceber porque ela é a mais visitada. Fonte: http://www.pinterest.com/pin/391531761324970060/
Os barcos que saem de Bali vão normalmente direto para Gili Trawangan e por isso decidimos ir pra lá. De todo modo, há barquinhos que ficam circulando diariamente entre as ilhas. Como a gente quase não encontrava nenhuma informação útil na internet, ligamos em algumas agências pra verificar o preço do barco de Kuta para Gili: 660.000 rúpias o barco rápido pra ilha. Isso dá aproximadamente 65 dólares. TODASCHOCA com o preço. Entendam, 65 dólares é mucha plata na Indonésia. E isso era só para a ida, a volta eram mais 65 obamas.
(Pra se ter uma noção, eu paguei U$ 47 pra voar de Yogyakarta pra Bali…)
Pobreza Espírito mochileiro nos pés, descobrimos que o barco para Gili saindo de Padang Bai era muito mais barato. Só que olhando no mapa, Padang Bai fica meio longinho de Kuta – na nossa cabeça aventureira era do ladinho. Pegamos infinitas informações na internet, misturamos tudo com o que os mocinhos do hotel falaram e pegamos um táxi para Sanur, pra daí pegar o ônibus pra Padang Bai e enfim pegar o barco pra Gili. (Parecia mais simples e rápido quando a gente se organizou em Bali).
O caminho das pedras:

A-Kuta, B-Sanur, C-Padang Bai, Ponto Amarelo-Gili Trawangan e eu redescobrindo meu amor pelo GMaps

Obviamente o cara do táxi tentou nos enrolar e nos levar até Padang Bai pra daí cobrar uma fortuna pela viagem. Acho incrível como eles falam inglês super bem no começo da conversa, mas quando você vai reclamar eles fingem que não entendem nada HAHA. Depois de dar um piti no táxi, o cara nos deixou no meio de um lugar horrível e disse que lá era Sanur. Dividimos as 70.000 rúpias (U$ 7) da corrida e houve muito amor emanado para todos os balineses ♥. Logo em seguida um ônibus parou e disse que estava indo para Padang Bai.

Primeiro pensamento?
Pagamos 50.000 rúpias (U$ 5) e fomos porque não dava pra ficar na rua da amargura.

No ônibus, o cobrador levava uma sacolinha com umas oferendinhas e ia parando em diversos templos e colocando elas lá. Voltei a emanar amor sincero aos Balineses. Logo de cara você percebe o quanto eles levam a sério o Hinduísmo e como tudo é bem feitinho.

Os balineses e seus costumes graciosos.
Depois de quase 2 horas de viagem, atravessando toda a ilha, feiras de rua e milhares de templos, a gente finalmente chegou em Padang Bai! Foi só desembarcar do ônibus e 20 indonesianos correram na nossa direção oferecendo o barco para Gili. Havia um barco saindo em 15 minutos e pagamos U$20 pela passagem.
OUSEJE, no final acabamos pagando em média U$28,50 por pessoa pra chegar até Gili :) (além das 3 horas que demoramos a mais e dos 2 quase ataques cardíacos, super valeu a pena :D ).
O barco e a vista de quando você chega na Ilha.
A Ilha é apaixonante! Tudo é bem simples, mas super arrumadinho. Há resorts sensacionais por ali, home stays, que são as casas de família que alugam quartos, e alguns hostels (mas esses estavam lotados). Como as opções que sobraram eram resorts de 4 estrelas com SPA, massagem, piscina e mordomo ou home stay sem luz, obviamente optamos pelo segundo pela falta de dinheiro para firmar um contato maior com a comunidade local.
Pegamos um quartinho com uma cama de casal e banheiro para dividir em duas. Sempre que me batia uma tristeza por ficar num lugar simples eu lembrava que a minha diária custava apenas 6 doletas e tudo ficava bem de novo :) (Até eu decidir tomar banho de dia e a água estar congelada ou até a gente acordar às 6h da manhã com o ventilador parado e o quarto à 150ºC, porque eles desligavam a energia das 6am-6pm).
As ruas charmossísimas de Gili Trawangan.

No dia seguinte decidimos alugar bicicletas e máscaras de mergulho, e conhecer a ilha. Como ela é pequena, dá pra dar uma volta inteira em menos de 2 horas. Fomos parando pelo caminho e mergulhando em todos os cantinhos da ilha. O clima é maravilhoso, só que é quente quente quente e abafado (eu amo calor, sol, verão, então tudo lhyndo!). Então você dá um passo, já está todo suado, mergulha no mar. Sai da água e repete, até rodar a ilha inteira.

Com um mar desses, ninguém te julga pela sua falta de estilo&breguisse.

Na parte mais afastada do centro ficam os Resorts, com cadeiras de praia e guarda-sóis de frente para o mar sensacional da ilha. A gente ficou um bom tempo aproveitando a cadeira deles, até um mocinho vir pedir o nosso tiquet de aluguel da cadeira, que custava míseros U$20. Nossa hora de não entender o inglês do mocinho, pedir desculpa e sair correndo dali ahahaha

Perto do centro, os bares e restaurantes também colocam cadeiras e esteiras de sol para os clientes; é só você pedir uma cervedjinha e já tem direito à ficar repousando lá para sempre. Não é tão exclusivo e tranquilo como nos Resorts, mas o que a gente gosta mesmo é de economizar dinheiro estar no meio do povo, sem exclusividades e luxos.

Quero mais o quê?
Uma breja gelada e o pessoal vivendo la vida boa na Ilha.

No snorkeling você não vê na verdade muita coisa. Eu vi alguns peixinhos minúsculos e váaaaarios corais, mas quase todos mortos :( Não sei se foi a época, mas nenhuma tartaruga bondosa apareceu por ali.

À noite, a ilhazinha ferve. Os restaurantes mais chiques ficam na orla da praia. A maioria funciona do mesmo jeito: eles expõem a comida, você escolhe o que quer comer e eles fazem na hora. Ficamos num lugar que vendia espetinhos de camarão, lagosta, lula e caranguejo. Você podia escolher dois espetinhos e o buffet de saladas e acompanhamentos era livre. Saiu uns 10 obamas, já com a bebida. AI QUE SAUDADES do meu dinheiro que rendia na Indonésia.

Escolha o seu jantar fresquinho, senhor.
No outro dia jantamos no Night Market, que é uma feirinha de rua com várias barraquinhas que vendem frutos do mar, espetinhos, comidas indonésias e doces. Tudo bem mais simples, mas nem tão mais barato. As mesinhas de plástico, os vendedores gritando pra atrair a atenção dos clientes e aquela qualidade da água pra lavar os pratos que só a Indonésia tem.
Quem disse que Gili não tem brigadeiro?
Dando uma volta pela feirinha, lágrimas de emoção escorrem dos meus olhos de ressaca quando eu vi que eles tinham brigadeiro! Lombriga se revirou no estômago. Fui toda lhynda comer, até as lágrimas da decepção virem ahahaha O doce é horrível! Não tem nada a ver com brigadeiro, é farelento e amargo ahahaha

Todos os meus arrependimentos da viagem sempre se resumem a não ter mais tempo para ficar e aproveitar melhor o lugar. Há tantos lugares pra ir e tanta coisa pra fazer, que você acaba correndo de um lugar pro outro, de um hotel pro outro, de um país pro outro. A Ásia é incrível, gigante e cheia de costumes diferentes. Minha dica pra quem vai pra lá é: vá com tempo. E vá sem roteiro. Sempre tem aquele lugarzinho que você quer ficar mais 2 dias, aquela prainha onde você poderia passar o resto da sua vida.

A Corina, que ia ficar viajando 6 meses pela Ásia, decidiu ficar mais um pouco na Ilha e depois conhecer Lombok. Como eu não tinha muito tempo, e ainda queria conhecer muita coisa em Bali, peguei o barquinho de volta para a Ilha e segui rumo à Ubud, tão conhecida pelos campos de arroz e um dos cenários principais de Comer, Rezar e Amar.

VOLTA mar esmeralda pra minha vida!
_________________________________________________________

Hospedagem: 
Homestay No Name
2 diárias – U$24 (dividido por 2 pessoas)

Aluguel: 
Bike – U$5
Snorkel – U$2

Transporte: 
Táxi Kuta-Sanur – U$7 (dividido por 2 pessoas)
Ônibus Sanur-Padang Bai – U$5 por pessoa
Barco Padang Bai-Gili Trawangan – U$20

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s